GABRIELA BILO / ESTADAO
GABRIELA BILO / ESTADAO

Lama de barragem já causou a morte de 11 toneladas de peixes

Mortandade é causada pelo entupimento das guelras; baixos níveis de oxigênio na água também podem impedir sobrevivência

Leonardo Augusto , Especial para O Estado

26 Novembro 2015 | 18h53

Corrigida às 12h55

BELO HORIZONTE - A lama que vazou com o rompimento da barragem da Samarco no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, já provocou a morte de 11 toneladas de peixes ao longo do Rio Doce, conforme informações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). 

O curso d'água foi atingido pelos rejeitos de minério de ferro da represa. Do volume de peixes mortos recolhidos, 8 toneladas foram retiradas no trecho mineiro do rio, entre os municípios de Rio Doce e Aimorés, e 3 toneladas deste desse município até a foz, no distrito de Regência, município de Linhares, litoral do Espírito Santo.

O recolhimento dos peixes, por determinação judicial, é feito pela Samarco com o acompanhamento de equipes do Ibama. Conforme o instituto, o trabalho ainda não foi concluído. 

A morte dos peixes é causada basicamente pelo entupimento das guelras por lama. Baixos níveis de oxigênio na água, o que pode ser provocado pela presença em alta quantidade dos rejeitos de minério de ferro, também podem impedir a sobrevivência de animais aquáticos.


Mais conteúdo sobre:
MarianaSamarcoMinas Gerais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.