Latrocínio ou vingança, hipóteses para morte de empresário

A polícia investiga a hipótese de vingança, mas não descarta um possível latrocínio paratentar esclarecer a morte do empresário Antônio Ribeiro Neto, de 55 anos, encontradonesta terça-feira no apartamento do 12º andar do edifício da Rua Arruda Alvim, 107, emPinheiros, na zona oeste de São Paulo.O delegado Ricardo Guanaes, da equipe H Sul, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pela investigação, disse nesta quarta-feira que pretende ouvir os familiares de Ribeiro e está levantando os últimos passos do empresário.Ribeiro morava sozinho. O corpo foi encontrado no quarto, sobre a cama, coberto com um lençol e com perfurações à bala na cabeça. ?Não sabemos se foram dois tiros ou um. O médico legista vai tirar a dúvida?, declarou Guanaes. Os vizinhos de Ribeiro não ouviram gritos ou tiros.Dono de uma empresa de bombas hidráulicas, Ribeiro teria sido visto pelo porteiro doprédio chegando de carro por volta das 3 horas da terça-feira. Estava sozinho. A portado apartamento não foi arrombada. Os peritos da Polícia Técnica não constataram sinais de arrombamento.O corpo foi encontrado de bruços. O empresário vestia camisa e calça social. Os pésforam amarrados com fita crepe. Os punhos também estavam envolvidos pelo mesmo tipode fita. A atadura arrebentara. Um revólver de calibre 32 foi encontrado ao lado docorpo, próximo à mão esquerda e sujo de sangue. A arma pertencia a Ribeiro.Os policiais suspeitam de que o assassino teria deixado o revólver naquela posição parasimular um suicídio. ?Estou esperando o resultado da perícia. A hipótese de suicídioestá praticamente descartada a não ser que apareçam na necropsia detalhes quevenham a nos surpreender?, informou o delegado do DHPP. Um exame residuográficovai revelar se Ribeiro usou a arma.Alexandre Werneck Ribeiro, de 25 anos, um dos filhos gêmeos de Antônio, ao visitá-lo,encontrou o corpo. A porta do apartamento estava encostada e ele telefonou para apolícia. A hipótese de latrocínio (assalto seguido de morte) também está sendoinvestigada. ?Estamos tentando saber com os familiares se alguma coisa desapareceudo apartamento e se o empresário tinha dólares, jóias, ou dinheiro guardado?, relatouGuanaes. Ribeiro estava divorciado havia 10 anos e namorava uma representantecomercial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.