Latrocínios e roubos em SP aumentam no 1º trimestre

As ocorrências de latrocínio (roubo seguido de morte) e roubo aumentaram no primeiro trimestre de 2008 em todo o Estado de São Paulo, em comparação com o mesmo período de 2007. Os dados foram divulgados ontem pela Secretaria de Segurança Pública, que também registrou queda de 9,2% nos homicídios, de 1.250 para 1.136. Só na capital, os assassinatos caíram 18%, de 399 para 326. O coordenador de Análise e Planejamento, Túlio Kahn, considerou atípico o aumento de 18% no caso de latrocínios. "Em números absolutos, foram 11 a mais, passando de 58, no primeiro trimestre do ano passado, para 69 neste ano." Ele não soube informar a causa do aumento. Dos 15 índices de crimes cujos balanços são divulgados, 12 tiveram queda. Quanto ao aumento de roubos (4,18%), de 52.968 para 55.052, Kahn avaliou que pode ser reflexo de uma melhor organização do crime. "Os índices acompanhavam as taxas de desemprego. Se melhora a economia, diminuem os ladrões amadores." Uma tendência que se manteve foi a queda dos homicídios. Kahn diz que o número de assassinatos deve se estabilizar neste ano. A meta da secretaria é alcançar o índice considerado razoável pela Organização Mundial da Saúde - 10 mortes por 100 mil habitantes. Hoje, São Paulo tem 10,8 homicídios por 100 mil. Outro índice que registrou queda significativa foi o de roubo a bancos, que caiu de 98 para 66 casos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.