Laudo aponta falhas na estrutura de futura estação do metrô

Um laudo elaborado pela empresa Tecnoplani Inspeções apontou problemas na estrutura metálica que sustenta as paredes da Estação Fradique Coutinho e que poderiam causar ?acidentes de proporções imprevisíveis?. O documento foi elaborado 15 dias após o desmoronamento na Estação Pinheiros da Linha 4 do Metrô e foi divulgado na noite desta terça-feira pelo Jornal Nacional, da Rede Globo. De acordo com laudo produzido pelo inspetor Nelson Augusto Damásio, a recomendação era paralisar as obras na estação até que se iniciassem os trabalhos de recuperação das soldas, pois havia o risco delas romperem. Entre os problemas apontados está o uso de um procedimento chamado bacalhau, que é o preenchimento de espaço entre as vigas com pedaços de metal e solda, além de utilização de materiais em discordância com as normas técnicas. O Consórcio Via Amarela, responsável pelas obras no Metrô, informou que não se manifestaria sobre a possibilidade de desabamento da futura Estação Fradique Coutinho diante das irregularidades nas soldagens. Contudo, admitiu que havia falhas na montagem das soldas, feita pelos próprios operários da obra, mas afirma que esse fato não representava um problema estrutural da estação. O consórcio negou que os trabalhos na estação tenham continuado sem que fosse tomada alguma providência, informando que, conforme recomendação do laudo, contratou "uma empresa especializada, de forma que fossem assegurados os padrões necessários em todas as soldagens?. A administradora do empreendimento diz que contratou Damásio para ?analisar os serviços de solda em estruturas provisórias de solda nas escavações? da estação, dizendo tratar-se de ?um procedimento de rotina?. Segundo o Jornal Nacional, o secretário de Transportes Metropolitanos, José Luís Portella, informou que o laudo foi realizado a pedido do governo do Estado. A ordem foi despachada no dia 17 de janeiro e três dias depois os trabalhos na futura Estação Fradique Coutinho recomeçaram a serem feitos. Gambiarras Especialistas em soldagem confirmam que o laudo da Tecnoplani demonstra claramente que existem muitas gambiarras no serviço. ?Isso acontece sempre que há empresa terceirizada?, alertou um soldador que presta serviços para a Petrobrás. Ele contou que a constatação da existência de ?bacalhau? pode comprometer toda uma estrutura construída, e que a utilização de materiais em desacordo com as normas técnicas é fator preocupante.

Agencia Estado,

13 Fevereiro 2007 | 23h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.