Laudo confirma espancamento em DP de Manaus

O laudo de necropsia feito pelo Instituto Médico Legal (IML) e divulgado pelo delegado Frederico Mendes concluiu que o adolescente José Kelson de Castro Souza, encontrado morto na sala de interrogatório da 14ª DP, em Manaus, foi realmente vítima de brutal espancamento. Segundo o laudo, o rapaz sofreu forte contusão na região abdominal. Peritos da Polícia acreditam que esta lesão foi causada por chutes, que levaram à ruptura de 12 centímetros no fígado e, conseqüentemente, hemorragia interna.Com o resultado da necropsia, o delegado Frederico Mendes vai encaminhar, agora, amostras das vísceras do adolescente para serem examinadas no Instituto de Criminalística da Polícia Federal em Brasília. Enquanto espera o resultado, o delegado vai ouvir a partir desta quarta-feira as testemunhas da prisão do adolescente. Cinco pessoas estão convocadas para depor, mas seus nomes são mantidos em sigilo. A Polícia teme que elas possam sofrer algum tipo de pressão se tiverem suas identidades divulgadas antecipadamente.Comenta-se que o depoimento destas testemunhas será fundamental para provar que José Kelson morreu na delegacia após uma sessão se tortura. Os principais suspeitos são os vigilantes noturnos André Alberto e Rytharlon Antônio, que encaminharam o rapaz para a delegacia na noite de quarta-feira passada. O investigador Ailton Bispo, que recebeu o adolescente preso, também está sendo acusado. Segundo o delegado, ele tem culpa, no mínimo, de ter negligenciado no atendimento ao rapaz.Segundo o investigador, José Kelson teria chegado à delegacia muito machucado devido a ter sofrido uma tentativa de linchamento ao ser surpreendido tentando roubar um carro. Ailton, porém, não soube explicar porque não providenciou atendimento médico para o preso. Ou, pelo menos, porque não o encaminhou para a Delegacia do Menor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.