Reprodução
Reprodução

Laudo confirma que pai matou 5 familiares e depois se suicidou

Crime aconteceu na pequena Cordilheira Alta, em Santa Catarina, em 28 de fevereiro, e chocou a cidade

Tomás M. Petersen, Especial para o Estado

31 Março 2015 | 19h25

FLORIANÓPOLIS - Laudo do Instituto-Geral de Perícias (IGP) de Chapecó divulgado nesta terça-feira, 31, confirma a suspeita dos investigadores sobre a família de seis pessoas encontrada morta em Cordilheira Alta, Santa Catarina. Alcir Pederssetti, de 46 anos, matou a tiros seus cinco parentes e depois cometeu suicídio. O crime aconteceu na manhã de 26 de fevereiro.

Com o resultado do laudo, o delegado Pompílio Claro da Costa encerrou o caso. "O laudo confirmou nossa primeira linha de investigação, de homicídio seguido de suicídio", disse. De acordo com vizinhos da família Pederssetti, Alcir e a mulher Monica, de 33 anos, passavam por um conturbado processo de divórcio.


Conforme a perícia feita no próprio dia 26, Alcir matou com um revólver calibre 38, na ordem, a mulher Monica; a filha Lana, de 16 anos; os sogros, Antonio Moresco, de 68 anos e Luiza Moresco, de 65 anos; e a cunhada Lucimar Moresco, de 36 anos. Em seguida ele se suicidou com um tiro na cabeça.

O exame toxicológico ainda não ficou pronto, mas, segundo o delegado Costa, todas as provas são suficientes para considerar o crime esclarecido. Agora o inquérito será encaminhado ao Fórum de Chapecó e possivelmente arquivado. 

Mais conteúdo sobre:
Cordilheira Alta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.