Lava-pés reúne moradores de rua em São Paulo

A celebração do Lava-pés, tradicionalmente realizada na noite da Quinta-Feira Santa, reuniu hoje um grupo de 80 moradores de rua na Casa de Oração do Povo da Rua. Para lembrar o gesto de Jesus, que lavou os pés de seus apóstolos na Última Ceia, os moradores de rua lavaram os pés uns dos outros. Rezaram e cantaram. Em seguida, cearam juntos. Na mesa, pão, sardinha frita e suco de uva. Os moradores de rua comeram também erva amarga e mel, durante a celebração. "A escravidão é amarga; a liberdade, doce". disse o padre Júlio Lancellotti, da Casa de Oração do Povo da Rua. "Hoje queremos celebrar a vida, partilhar o pão e viver como irmãos." Essa foi a mensagem do padre no início da cerimônia.A Casa de Oração do Povo da Rua foi fundada há quase cinco anos por Dom Paulo Evaristo Arns. O objetivo da entidade é proporcionar aos moradores de rua um lugar onde possam se encontrar e celebrar a fé. "Nenhuma paróquia recebe um morador de rua em suas celebrações", afirmou o padre Júlio. Ao contrário das paróquias, onde os padres celebram o Lava-pés, na Casa de Oração do Povo da Rua, os moradores de rua conduzem toda a cerimônia. "É uma celebração participativa", disse padre Júlio.Amanhã, as celebrações de Páscoa da Casa de Oração do Povo da Rua continuam. Pela manhã, eles saem do Largo São Bento, no centro da cidade, para a caminhada da Via Crucis. Sábado, à partir das 18 horas, os moradores de rua participam da Vigília da Páscoa. Durante toda a noite e a madrugada, eles rezam e cantam. A celebração termina na manhã de domingo. Depois de caminhar pelo bairro, anunciando a Ressurreição de Cristo, os moradores de rua se reúnem para tomar café da manhã juntos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.