Divulgação
Divulgação

Legalização de jogos de azar volta para CCJ do Senado

Proposta, uma das apostas do governo para aumentar as receitas, não tem prazo para ser votada

Isabela Bonfim, Julia Lindner e Erich Decat, O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2016 | 20h50

A maioria dos senadores optou por não votar o projeto que legaliza os jogos de azar. Sem acordo para votação em plenário, a proposta foi enviada de volta para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e não tem prazo para ser votada. 

O projeto era uma das apostas do governo para aumentar as receitas. De acordo com o relator, Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), seria possível arrecadar R$ 30 bilhões por ano com impostos sobre os jogos.  

Os senadores alegaram insegurança para votar a proposta, que é criticada por entidades ligadas ao Ministério Público, à Polícia Federal e à Receita Federal, que acreditam que a legalização dos jogos é uma facilitação de crimes, como a lavagem de dinheiro. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.