Lei do Farol Baixo autua mais de 124 mil motoristas, diz PRF

Estado com mais flagrantes da infração foi Goiás, que contabilizou 14.683 registros; balanço é do período de 8 de julho a 8 de agosto

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

12 de agosto de 2016 | 16h18

SÃO PAULO - No primeiro mês de vigência da lei que obriga o uso de farol baixo em rodovias, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) aplicou 172 autuações por hora nas pistas que cortam o País, um total de 124,1 mil no período. A aplicação da multa, que configura infração média punida com quatro pontos na carteira e R$ 85,13, tem previsão de arrecadação de R$ 10,5 milhões.

O Estado com mais flagrantes de motoristas sem o farol ligado foi Goiás, que contabilizou 14.683 registros, seguido de Paraná (12.976), Minas (12.660), Rio (11.100) e Santa Catarina (10.720).

Pela lei, motoristas que trafegam por rodovias devem usar o farol baixo. O valor da multa deve subir para R$ 130,16 a partir de novembro.

A PRF informou que, no mesmo período, foram registrados 117 acidentes com colisão frontal durante o dia em pistas simples. O número é 36% menor do que no mesmo período do ano passado, quando foram contabilizados 183. Também houve queda no número de mortes e pessoas gravemente feridas, que passaram de 88 e 113, respectivamente, no ano passado, para 39 e 67 neste ano.

“Em atropelamentos também houve queda no número de mortos: dez óbitos em 2016 e 16 em 2015, e de feridos graves – 43 feridos graves em 2016 e 63 em 2015”, informou a PRF.

O objetivo da lei é reduzir o número de acidentes, principalmente as colisões frontais, e aumentar a segurança nas estradas federais. De acordo com a PRF, ao usar os faróis durante o dia, o motorista permite que o seu veículo seja visualizado por condutores que estão no sentido contrário a uma distância de três quilômetros. A regra, que antes valia para caminhões, ônibus e motocicletas, é válida agora para todos os veículos.

A regra também passou a valer para trechos urbanos das estradas, com o objetivo de facilitar a visualização dos carros pelos pedestres. As Rodovias Anchieta, Dutra e Raposo Tavares são exemplos de estradas nas quais a lei já está sendo aplicada. A regra não vale, porém, para as Marginais do Tietê e do Pinheiros, segundo a Prefeitura de São Paulo.  

Tudo o que sabemos sobre:
Goiás

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.