Lei do vagão exclusivo para mulheres entra em vigor segunda

A partir de segunda-feira, 24, a lei que obriga as empresas que administram o sistema ferroviário e metroviário a destinar vagões exclusivos para as mulheres nos horários de pico entrará em vigor no Rio de Janeiro. Sancionada pela governadora do Rio, Rosinha Matheus, no último dia 23, a norma tem como objetivo evitar assédio sexual, principalmente quando elas viajam em composições lotadas. Nesta quinta, as concessionárias apresentaram o novo vagão, que internamente nada difere dos demais. No metrô, a identificação será feita através de quatro faixas cor-de-rosa fixadas na parte superior do carro. Já nos trens suburbanos, administrados pela Supervia, vão ser colados adesivos com um símbolo feminino (uma silhueta de mulher) ao lado da porta, para facilitar a visualização dos clientes. Conforme determina a lei, em cada composição haverá um vagão especial, que funcionará entre 6 e 9 horas e entre 17 e 20 horas, somente nos dias úteis. Aos sábados, domingos e feriados a separação por sexo não é obrigatória.A Supervia destinará 150 vagões para as mulheres, que representam 46% dos 400 mil passageiros que viajam todo dia de trem. "As mulheres podem usar qualquer vagão. Os homens é que não vão entrar no vagão delas ", disse Ivone Malta, gerente de Comunicação Corporativa da Supervia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.