Leitores aprovam proibição de propaganda na cidade

O "Cidade Limpa", projeto de lei que veta publicidade externa e outdoors na cidade de São Paulo, aprovado na tarde desta terça-feira (26) pela Câmara Municipal, foi tema de uma enquete realizada pelo Portal Estadão.com.br. No legislativo municipal, o texto foi aprovado por 45 votos a favor e 1 contra. Mas, na enquete do Portal, que ficou hospedada na homepage do jornal durante dois dias, a medida não é tão unânime assim. No levantamento, 69,62% aprovaram a medida e 30,38% reprovaram. Embora a aprovação da resolução seja positiva, por outro lado, a maioria dos internautas não acredita que a poluição visual na cidade será realmente extinta, a partir da nova lei, 58,37% dos votantes.O projetoO texto, que é de autoria do prefeito Gilberto Kassab (PFL), proíbe, a partir de 1º de janeiro, todo tipo de publicidade externa, como outdoors, painéis eletrônicos e em fachadas de prédios.Na leva do que chamou de vacina contra a poluição visual, o prefeito obteve outra vitória substancial no Legislativo, ao conseguir aprovar a proibição dos anúncios publicitários em táxis, ônibus e bicicletas. Ele tem até 30 dias para sancionar a lei.De acordo com a proposta da prefeitura, a publicidade externa em São Paulo passará a ser veiculada em espaços no mobiliário urbano, que são abrigos de ônibus, relógios públicos e placas de rua. Mas isso só poderá ocorrer depois da aprovação de outro projeto de lei, que o prefeito deve enviar à Câmara. Essa medida não tem prazo para ocorrer.As empresas de publicidade estimam que há em São Paulo 13 mil outdoors, dos quais 8 mil estavam em situação irregular e 5 mil atendias as normais vigentes. A multa para quem descumprir a legislação sobe de R$ 1 mil para R$ 10 mil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.