Lembo critica governo federal no lançamento das obras do Rodoanel

Após seis anos de atraso, começou nesta terça-feira, 19, a construção do Trecho Sul do Rodoanel Mário Covas, que ligará Taboão da Serra a cidade de Mauá. A previsão é de que as obras levem pelo menos quatro anos para serem concluídas. O governador Cláudio Lembo(PFL) participou do lançamento da obra e afirmou que há possibilidade de solicitar dinheiro da iniciativa privada, ao criticar a falta de repasse de verbas por parte do Governo Federal. Lembo disse que se o próximo governador quiser acelerar o ritmo da obra em até dois anos e meio, terá de chamar a iniciativa privada. De acordo com informações da reportagem da Rádio Eldorado AM, Lembo criticou o Governo Federal mais uma vez, dizendo que não recebe repasses, mas disse que isso não deve ter cunho político. Ele também ironizou a promessa do ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, de que o Governo Federal irá pagar um terço da obra. Em tom de crítica, ele disse que "tudo o que foi prometido pelo Governo Federal não foi cumprido".O que mais retardou o início das obras do Trecho Sul foi a questão ambiental. Mas o governador ressaltou que não deve mais haver embargos de cunho ambiental porque "tudo está resolvido".O Trecho Sul do terá 57 quilômetros e vai custar R$ 2,58 bilhões. Sem contar os recursos para desapropriações e compensações ambientais, estimados em R$ 3,5 bilhões. O primeiro canteiro de obras está localizado no quilômetro 26 da Rodovia Anchieta, região de São Bernardo do Campo.O trecho terá início no trevo da Rodovia Régis Bittencourt e cortará seis municípios: Embu, Itapecerica da Serra, São Paulo, São Bernardo, Santo André e Ribeirão Pires. A estimativa da empresa Desenvolvimento Rodoviário S.A. (Dersa) é de que a obra reduza o tráfego de caminhões nas Marginais e na Avenida dos Bandeirantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.