AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Lembo diz não se sentir abandonado por PSDB e critica governo federal

O governador de São Paulo, Claudio Lembo, negou que esteja se sentindo abandonado pelo PSDB em meio a crise de violência que eclodiu no Estado, no último final de semana. Segundo o governador, esse é um momento que não deve incluir discussões partidárias e no qual a responsabilidade deve ser assumida pela pessoa responsável pelo governo. "O PSDB é um partido e os partidos não devem ingressar em situações tão difíceis como essa", disse Lembo. "Em um momento difícil, um governo que é presidencialista fica sozinho", completou.De acordo com Lembo, o ex-governador Geraldo Alckmin entrou em contato com ele por telefone três vezes nos últimos dias para conversar sobre a situação. Mesmo assim, Lembo reconheceu que respondeu duramente a comentários do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que comentou em Nova York a suspeita de um acordo do governo com o a facção criminosa PCC."Não houve acordo com bandido, eu nunca fiz acordo com bandido. E respondi duramente pois acho que não se pode, à distância, num país estrangeiro, falar sobre assuntos internos brasileiros tão graves", afirmou.Lembo aproveitou para caracterizar como "dramática" a notícia do vazamento de informação da CPI do Tráfico de Armas para advogados do PCC. Além disso, voltou a dizer que não se arrepende da forma como conduziu até agora a crise paulista. Questionado sobre se estuda a possibilidade de aceitar ajuda da Forças Armadas, caso a situação se agrave nos próximos dias, Lembo voltou a dizer que a presença do exército nas ruas é desnecessária. "O exército não tem condições de lutar contra o crime organizado"O governador aproveitou também para elogiar a forma como o governo federal vem contribuindo com a solução da crise, mas não perdeu a oportunidade de atacar o trabalho do executivo no tocante à questão da segurança pública. "O governo federal, neste momento, está agindo nos seus limites", disse Lembo, acrescentando que o presidente Lula "tem sido o que deve ser"."Eu diria que o governo federal foi omisso no passado quando não passou verbas do fundo penitenciário, não construiu uma penitenciária no Estado de São Paulo, não transferiu nenhuma verba de segurança para o Estado de São Paulo . Zero, nada. Aí ele foi incompetente e irresponsável", concluiu.

Agencia Estado,

18 de maio de 2006 | 14h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.