Lembo mantém recusa a uso da Força Nacional

O governador Cláudio Lembo mantém a posição adotada na terça-feira, 11, com relação à oferta do governo federal para receber a ajuda da Força Nacional de Segurança Pública para combater a criminalidade em São Paulo. Segundo o governador, o reforço policial não é oportuno nem necessário, pois o efetivo de segurança paulista é o maior e mais bem equipado entre os Estados da Federação. E o trabalho de investigação contra a criminalidade é diário e contínuo. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a oferecer, na manhã desta quarta-feira, ajuda federal ao governo de São Paulo para conter a violência no Estado. Em entrevista, antes de deixar o hotel onde está hospedado para abrir a II Conferência de Intelectuais da África e da Diáspora (CIAD), ele disse que está muito preocupado com a segurança em São Paulo e informou que, na quinta-feira, 13, o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, vai conversar novamente com o governador Cláudio Lembo para lhe oferecer ajuda, mas ponderou que o governo federal não pode colocar a Força Nacional de Segurança no Estado sem a aprovação do governo estadual.O governador Lembo conversou longamente sobre a situação da Segurança Pública com o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, nesta quarta, com quem combinou uma nova reunião de trabalho em data a ser confirmada. Segundo Lembo, os governos federal e paulista atuam em total harmonia.O presidente Lula avaliou, no entanto, que a situação não está normal. "Se todo dia há morte de carcereiro, queima de ônibus, isso não é normal, coloca a sociedade em pânico. Eu acho que São Pau lo, pelo que representa para o Brasil, merece ser tratado com carinho especial", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.