Lembo reafirma que autorizou avião para transportar advogada

O governador de São Paulo, Claudio Lembo (PFL), reafirmou nesta quarta-feira que autorizou o uso de um avião da Polícia Militar no transporte da advogada Iracema Vasciaveo para o presídio de Presidente Bernardes, onde se encontrou com o líder do Primeiro Comando da Capital (PCC), Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola. Partiu também de Lembo a autorização para que se desconsiderasse a lei que prevê uma ordem judicial para que se realize qualquer visita a detentos que estão em regime de Regime Disciplinar Diferenciado (RDD)."Achei boa política administrativa que ela fosse, para que não haja amanhã a idéia de violação dos Direitos Humanos. Poderiam amanhã dizer que ele estava sendo agredido, torturado", disse Lembo, para quem a visita sem ordem judicial foi necessária, por conta do caráter de urgência da situação. "Nós não podíamos esperar qualquer decisão judicial, porque ela seria demorada e nós estávamos no meio do conflito."Apesar de todo o esforço empreendido para a realização do encontro, Lembo continua negando que tenha havido qualquer tipo de acordo e destacou que a mesma atenção dada a Marcola seria também dispensada a outros presos, caso houvesse o pedido. "Se tivessem pedidos, nós concederíamos. Podemos conceder."Para o governador de São Paulo, a quantidade de mortos supostamente envolvidos com o PCC é um dado que demonstra a inexistência de qualquer negociação. "Nunca vi um acordo em que a facção criminosa tenha tantos mortos", comentou Lembo, que, entretanto, admitiu que o governo deveria usar "todas as formas possíveis para agilizar o diálogo, inclusive com essa figura (Marcola)".Com relação aos mortos pela polícia nos últimos dias, o governador afirmou que ainda não há previsão para a divulgação da lista com os nomes, mas ressaltou que isso deve ocorrer em breve. "Pedi ontem que houvesse um trabalho o mais rápido possível."Por fim, Lembo ainda se disse satisfeito com os trabalhos da Secretaria de Segurança Pública, da Secretaria de Administração Penitenciária e das Polícias Civil e Militar. E garantiu que não fará mudanças na equipe de comando da segurança do Estado. "Estou muito honrado com a presença desses secretários e acho que eles são de grande qualidade", finalizou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.