Lessa consegue na Justiça recolher jornal

Os advogados do candidato Ronaldo Lessa, que disputa o governo do Estado pelo PDT, conseguiram na Justiça Eleitoral impedir a circulação da edição desta semana do jornal Extra.

Ricardo Rodrigues / MACEIÓ, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2010 | 00h00

Os exemplares foram recolhidos das bancas por determinação judicial. O ex-governador alegou que o semanário teria publicado uma pesquisa de intenção de votos para o governo do Estado sem citar o instituto responsável pelo levantamento e o número de registro da pesquisa na Justiça Eleitoral.

Na representação, o candidato do PDT alegou que o jornal teria cometido crime eleitoral e ainda pediu que o semanário pagasse a ele R$ 105 mil de multa indenizatória.

Sem citar valores, o diretor do Extra, Fernando Araújo, disse que o jornal teve prejuízo financeiro esta semana após ter seus exemplares recolhidos das bancas de revistas de Maceió.

Outra vitória. Os advogados de Lessa conseguiram também ganhar uma ação na Justiça Eleitoral contra a chapa do governador Teotônio Vilela (PSDB). Segundo a decisão, Vilela terá de retirar o banner que cerca a sede do seu comitê no bairro da Jatiúca.

Na ação, a coligação de Lessa alega que o banner - com foto, nome e slogan do candidato tucano - está maior do que padrão exigido pela legislação eleitoral. Os advogados de Vilela disseram que iriam recorrer da decisão.

Outra ação bem sucedida da coligação de Lessa foi conseguir impedir que o Extra veiculasse notícias sobre a pesquisa em sua página virtual. Um pedido para tirar do ar o Blog do Bob, do site Cadaminuto, no entanto, foi indeferido pelo TRE-AL.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.