Lessa diz que candidatura ao Senado está mantida

O ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) disse nesta quarta-feira, 09, que sua candidatura ao Senado Federal nas eleições deste ano está mantida, apesar da decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que na terça à noite o tornou inelegível por três anos."A candidatura se mantém porque ainda há algumas medidas a serem tomadas, junto ao próprio TSE, para reverter esse quadro", afirmou Lessa, em entrevista, ao desembarcar no aeroporto Zumbi dos Palmares, em Maceió.Lessa foi recebido por cerca de 300 pessoas, que portavam bandeiras da sua campanha e gritavam seu nome. O ex-governador estava acompanhado do ex-prefeito de Maceió, Alberto Sextafeira (PSB), que também teve os direitos políticos cassados."Se essas medidas junto ao TSE não derem resultado nós vamos recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), discutir tudo que for possível", acrescentou Lessa, acrescentando que ainda crê numa reviravolta da sua condenação."Sou candidato, vou manter a candidatura, vou mostrar com quem está a razão, vou mostrar que dar aumento não pode ser crime", afirmou o ex-governador.Segundo Lessa, o seu "crime" foi ter dado aumento aos servidores estaduais, nas eleições de 2004. "Esse país precisa virar de ponta-cabeça, vamos mudar os valores desse país", afirmou Lessa, numa espécie de comício relâmpago no aeroporto.Questionado se a decisão do TSE - que manteve a inelegibilidade imposta pela Justiça Eleitoral de Alagoas - o desestimularia, Lessa responde que não. "Pelo contrário, dá mais vontade de lutar e vencer nas urnas que é o mais importante". Para o ex-governador, "a decisão do TSE mostra o quanto o Brasil é contraditório: o Judiciário legisla e cassa ao mesmo tempo". É necessário que a gente coloque as coisas no seu devido lugar", acrescentou.Lessa disse que as coisas estão equivocadas, porque as instituições estão equivocadas. "O próprio TSE baixou uma resolução e com 72 horas modificou essa resolução", lembrou Lessa, referindo-se à questão da verticalização."O presidente da República está dando aumento ao funcionalismo este ano. Ele vai ser candidato e eu não posso ser candidato?", questionou Lessa, acrescentado que "corrupção tem em todo canto", mas não disse isso em relação ao TSE.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.