Libertado comerciante que matou filho por causa de drogas

O comerciante Amador Cortellini, de 68 anos, que matou com um tiro no peito o filho Roberto, de 26, vai responder o processo em liberdade, por decisão da juíza Cláudia Marina Maimone Spagnuolo Binns, da 2ª Vara do Júri, do Fórum do Jabaquara. Cortellini confessou que atirou por causa de discussões com o rapaz, que era usuário de drogas. A juíza relaxou a prisão em flagrante do aposentado, com a corcondância do promotor Sérgio de Assis. Ele observou que o indiciado tem residência fixa, é primário e tem problemas cardíacos graves.A juíza acolheu a argumentação e acrescentou que o homicídio foi "fato isolado" na vida do aposentado. Para ela, o comerciante está arrependido e cometeu o crime quando estava sob forte emoção. O alvará de soltura foi cumprido ontem pelo delegado 72º Distrito, onde o aposentado estava preso.

Agencia Estado,

02 de abril de 2003 | 09h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.