Licença a Viracopos depende de conselho

José Serra afirma que veto às obras não é do governo, mas de órgão, que tem participação do Estado

Luciana Nunes Leal, HORTOLÂNDIA, O Estadao de S.Paulo

29 Agosto 2009 | 00h00

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), negou que o governo do Estado tenha vetado a construção da segunda pista do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP). Serra disse que a licença ambiental para a ampliação do aeroporto depende do Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema). "O governo faz parte do conselho, como várias outras instituições. O conselho não é do Estado", disse o governador, ontem, em Hortolândia, no interior de São Paulo. A informação de que a obra em Viracopos foi vetada pelo governo paulista foi publicada ontem pelo Estado. O governador ressaltou, no entanto, que o Consema pediu adequações ao projeto em Viracopos e que as obras serão autorizadas quando forem resolvidos os problemas apontados pelo conselho, o que também afirmava a reportagem. "Toda a obra envolve licenciamento ambiental. Questões ambientais existem sempre e, na maior parte das vezes, aqueles que levantam os questionamentos têm razão. A ideia de que houve veto é mentirosa." O governador também censurou a Infraero pelo que considerou uma demora na apresentação de um projeto para o aeroporto. "O projeto foi apresentado pela Infraero em cima da hora", criticou o governador. Serra ressaltou que é "o maior impulsionador" da ideia de ampliação da capacidade de Viracopos. No evento, ainda cobrou da Infraero a ampliação do Terminal 3 do Aeroporto Internacional de Guarulhos. "A Infraero, neste governo, está dormindo no ponto há sete anos. Chegar na última hora e querer escolher culpados é muito fácil." Sobre a acusação de que a decisão seria política, conforme disse o deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP), o governador retrucou: "O deputado é engenheiro, mas precisa se informar. É uma afirmação incorreta. Não vamos atropelar o meio ambiente". A Infraero informou que não vai se manifestar sobre declarações de autoridades e que está disposta a discutir questões técnicas sobre o licenciamento ambiental.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.