Líder comunitária é queimada viva no RS

A polícia suspeita de vingança como causa do assassinato da líder comunitária Marlene Álvares de Oliveira, de 51 anos, que morreu queimada na madrugada de ontem no Restinga, zona sul de Porto Alegre. Um homem entrou no apartamento da vítima, amarrou Marlene e o marido, Osmar de Souza, de 57, ateou fogo e fugiu. Souza está em estado grave.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.