Líder comunitário que denunciou policiais é assassinado

Um líder comunitário, que denunciou crimes envolvendo policiais da Paraíba, foi morto a tiros na capital João Pessoa. Este é o terceiro assassinato, em um mês, de testemunhas que colaboravam para indicar os nomes de policiais envolvidos em irregularidades no Estado. Segundo informações da Rádio CBN, Reginaldo Firmino Alves, de 38 anos, foi assassinado com um tiro na cabeça, próximo de sua casa, localizada no bairro do Cristo Redentor, em João Pessoa. A vítima iria depor como testemunha em uma delegacia de polícia civil da capital contra policiais. Alves teria denúncias de tortura praticadas por policiais contra um colega. De acordo com moradores do bairro, o líder comunitário estava sentado próximo a uma igreja quando foi assassinado. Há informações de que duas pessoas em um moto o teriam executado, mas os moradores não contam muitos detalhes temendo represálias. A vítima morreu no local do crime. Alves morava sozinho numa casa humilde na Rua Alto Santo, no bairro do Cristo Redentor. Segundo um vizinho da vítima, Alves era muito conhecido no bairro porque se envolvia com os problemas da comunidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.