Líder da rebelião em presídio do MT é decapitado

Terminou hoje, às 9 horas, a rebelião dos presos do Presídio do Carumbé, em Cuiabá, em Mato Grosso. João Carlos do Nascimento, o JC, líder da rebelião, que seria integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC) - organização criminosa que atua nos presídios paulistas -, foi decapitado. Outros cinco comandantes do motim foram mortos pelos detentos: Jeferson Ricardo Alves, Juliano Albuquerque da Silva Valdenilson Soares Botelho, Charles Augusto Oliveira e Daniel Sebastião Lemos. Os 139 reféns (familiares dos próprios presos) foram libertados. Nenhum ficou ferido. O presídio abriga 368 detentos. Segundo a polícia, o suposto líder do PCC queria aparecer na TV em todo o País. Mas os outros presos estavam revoltados com JC. Ele tinha cela particular e empregados. O criminoso tinha sido transferido para o Carumbé havia oito meses. Ele estava preso anteriormente na Penitenciária de Piraquara, em Curitiba (PR). JC integrou o grupo que seqüestrou Wellington Camargo, irmão dos integrantes da dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano, em 1998. Os parentes eram mantidos como reféns desde às 15 horas de quinta-feira. O motim começou quando presos rebelados impediram a saída dos familiares que foram visitá-los. No início da noite, a direção do presídio suspendeu o fornecimento de luz, água e alimentação. Entre quinta e sexta-feira, 29 pessoas - 22 mulheres e 7 crianças - foram liberadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.