Líder de rebelião é transferido; termina motim em Contagem

O traficante Rogério Amaral, o Rogerão, já está numa cela do Departamento Estadual de Operações Especiais (Deoesp), depois de promover quase dez horas de rebelião na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais. A rebelião terminou por volta das 4h, quando os dois últimos reféns foram libertados. Entre eles o subdiretor da penitenciária, Aílson Araújo Moura. Três pavilhões foram tomados pelos presos, que tinham várias armas. Eles chegaram a atirar em um agente penitenciário, que foi atingido com um tiro na cabeça e está internado em estado grave no Pronto Socorro João XXIII. Outro agente foi baleado no pé. A rebelião começou às 18h30 de ontem, quando a polícia tentou transferir Rogerão para o Deoesp. Ele provocou tumulto incitando os presos a se rebelar. Na semana passada, Rogerão fez ameaça a dois deputados da comissão de segurança da Assembléia Legislativa, depois que uma vistoria encontrou armas, telefones celulares, uma churrasqueira, uma piscina de plástico e um freezer cheio de carnes. Os presos continuam com armas e telefones celulares, segundo os agentes penitenciários. Após dez horas de negociação, a polícia prometeu a Rogerão que ele seria transferido para a Casa de Detenção Dutra Ladeira em Ribeirão das Neves. Depois que ele entregou os reféns e uma arma, a polícia voltou atrás. Rogerão foi mesmo para o Deoesp, onde vai ser transferido para uma unidade prisional mais segura. As informações são da Rádio CBN de Belo Horizonte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.