Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Líder do PT diz que redução da maioridade penal é 'resgate do passado arcaico'

Afirmação foi em resposta ao anúncio feito por Eduardo Cunha neste domingo, sobre querer colocar a PEC para votação até fim de junho

Nivaldo Souza, O Estado de S. Paulo

31 Maio 2015 | 13h59

BRASÍLIA - O líder do PT na Câmara dos Deputados, Sibá Machado (AC), afirmou que o partido se manterá fiel à sua posição contrária à redução da maioridade penal de 18 para 16 anos. "Não tem lei que possa coibir que se cometa crime. O que precisamos é discutir política sociais para os jovens", disse.

A afirmação foi em resposta ao anúncio feito neste domingo, 31, pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de que colocará a Proposta de Emenda à Constituição 171/1993, a PEC da Redução da Maioridade Penal, em votação até o final de junho à revelia do PT "não querer a redução da maioridade e achar que todos têm de concordar". Cunha sugeriu a realização de um referendo após aprovação da medida pelo plenário da Casa.

Na avaliação de Machado, a decisão do presidente da Câmara de pautar redução vai na "contramão da história" no momento em que alguns estados dos EUA e países como Alemanha discutem abandonar a idade penal inferior aos 18 anos. "É o resgate (no Brasil) do pensamento mais arcaico do País", disse, ressaltando que a decisão de Cunha reflete um "pensamento de direita e conservador".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.