Líder espera lote há 5 anos

Em São Paulo, os sem-terra chegaram à sede da superintendência regional do Incra, na Rua Brasílio Machado, bairro de Santa Cecília, às 6 horas da manhã. Renderam os seguranças, ocuparam o prédio e, mais tarde, impediram a entrada dos funcionários.

, O Estado de S.Paulo

20 de abril de 2010 | 00h00

Um dos líderes do grupo era Claudete Pereira de Souza, de 31 anos. Ela e sua filha, de 8 anos, vivem desde 2005 num acampamento do MST em Iaras, interior do Estado. Seu sonho é ganhar um lote de terra num assentamento da reforma agrária, a exemplo do que ocorreu com seus pais, hoje assentados na região do Pontal do Paranapanema, no oeste de São Paulo.

Para chegar às 6 horas ao Incra, Claudete e seus companheiros, assentados e acampados, saíram de Iaras à meia noite de domingo. Indicada para ser porta-voz do grupo, ela disse ao Estado que o objetivo da ocupação é chamar a atenção tanto para a necessidade de mais assentamentos quanto para as dificuldades das famílias assentadas. "Os assentamentos ainda sofrem com falta de luz elétrica, água, habitação, educação", disse./R.A.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.