Líderes do PCC serão transferidos amanhã

O governo do Estado de São Paulo deve transferir na quarta-feira os principais líderes e integrantes da alta cúpula do Primeiro Comando da Capital (PCC) na Penitenciária do Estado. Os dois principais chefes da facção criminosa são Ilson de Oliveira, o Gulu, e outro detento conhecido por Tio. Eles assumiram a direção do partido após a transferência do assaltante Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, para o Rio Grande do Sul.Já está definido o local para onde vão ambos, mas o secretário da Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa, não quis dar informações a respeito. "O que tiver que ser feito, será feito. E eu não vou antecipar por motivos óbvios", ressaltou.O PCC organizou no dia 18 a maior rebelião do sistema carcerário do País. Ao todo, 29 unidades prisionais aderiram ao motim. Dez mil pessoas foram feitas de reféns e 20 presos acabaram mortos.Depois do motim, cerca de 480 detentos de unidades prisionais do Estado foram transferidos temporariamente para outros lugares. Furukawa negou hoje que esteja tentando isolar os líderes do partido em um só presídio. "Está sendo feita a transferência dos presos, sendo do PCC ou não", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.