Ligações entre família do senador e ex-banqueiro são antigas

São antigas as ligações entre a família Sarney e Edemar Cid Ferreira, ex-dono do Banco Santos. Amigo íntimo do ex-banqueiro, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), envolveu-se numa polêmica em novembro de 2004, quando começou a intervenção judicial que, um ano mais tarde, decretou a falência do banco.

, O Estado de S.Paulo

15 de agosto de 2010 | 00h00

No dia 11 de novembro daquele ano, um dia antes da intervenção, Sarney resgatou do banco uma aplicação de R$ 2,2 milhões. Na época, o senador negou que tenha recebido informações privilegiadas para proteger seu dinheiro.

No ano passado, a revista Veja revelou detalhes de documentos do Banco Santos que mostrariam contas no exterior em nome de José Sarney. O senador sempre negou a existência desses recursos financeiros.

Prisão. Condenado a 21 anos de cadeia, Edemar chegou a ser preso, mas recorreu e responde em liberdade.

O ex-banqueiro foi condenado por crime contra o sistema financeiro, lavagem de dinheiro, crime organizado e formação de quadrilha.

O rombo no Banco Santos foi estimado em R$ 2,9 bilhões. A instituição financeira virou uma massa falida que ainda busca uma maneira de salvar as dívidas com seus credores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.