Light vai instalar sensores em galerias do Rio para evitar explosões em bueiros

Empresa também deixará de terceirizar a operação e manutenção das câmaras subterrâneas e fará a contratação de 136 funcionários

Solange Spigliatti, estadão.com.br

11 de agosto de 2010 | 13h42

SÃO PAULO - A Light, concessionária de energia do Estado do Rio de Janeiro, vai instalar sensores nas câmaras transformadoras para evitar explosões nas galerias subterrâneas. O anúncio foi feito nesta quarta-feira, 11, durante uma teleconferência da empresa para divulgar os resultados do 2° trimestre de 2010.

 

Serão instalados 720 sensores nas câmaras consideradas mais sensíveis, com o monitoramento remoto, o que vai permitir a fiscalização em tempo real para detectar qualquer ocorrência nas galerias. Até 2014, a nova tecnologia estará instalada em todas as quatro mil, segundo a Light.

 

Outra medida anunciada hoje é a mudança na contratação de funcionários para o trabalho de operação e manutenção nas câmaras subterrâneas. O serviço passará a ser realizado somente por funcionários da própria Light, ao invés de terceirizados.

 

 

A expectativa é que, com a contratação pela Light de 136 dos 228 funcionários terceirizados, a rotatividade diminua e a eficiência aumente. A Light também iniciou nos últimos a mudança nas tampas das oito mil caixas de inspeção para aperfeiçoar a ventilação e permitir a saída de gases combustíveis, eventualmente existentes na rede subterrânea da empresa.

 

Além disso, a empresa vai continuar instalando trancas nos bueiros que dão acesso às redes subterrâneas, para evitar que as pessoas entrem pelas galerias para roubar os cabos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.