Linha com cerol mata empresário em Sorocaba

Uma linha de pipa com cerol - mistura de cola com vidro moído - causou a morte do empresário Rogério Rangel de Lima, de 35 anos, na tarde de domingo, em Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo. Ele transitava de moto pela Avenida Sadrac Arruda, região leste da cidade, quando a linha enroscou-se em seu pescoço. Um amigo do empresário, Luís Antonio de Lima, que viajava na garupa, disse que o corte fez o sangue jorrar imediatamente. Com o ferimento, Rogério perdeu o controle da moto, que bateu na calçada e tombou. Ele usava capacete. Luís Antonio tentou socorrer o amigo, desenrolando o fio do pescoço, mas não conseguiu estancar a hemorragia. Um morador das proximidades, Ricardo Aparecido de Oliveira, tentou levar o empresário a um hospital, mas viu que era tarde. Em razão da rápida perda de sangue, Rogério morreu em poucos minutos. Uma viatura de resgate do Corpo de Bombeiros levou o corpo ao Pronto Socorro da Santa Casa. Policiais militares realizaram buscas nas imediações mas não encontraram o dono da linha, que atravessava toda a avenida. O uso de pipa com cerol é proibido por lei, mas a fiscalização é precária. A Polícia Militar e a Guarda Municipal agem quando há denúncias de moradores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.