Linha com cerol mata técnico laboratorial

O técnico laboratorial Mário Rodrigues de Camargo, de 45 anos, morreu em conseqüência dos ferimentos causados por uma linha banhada em cerol, uma mistura de vidro moído com cola. O caso ocorreu no final da noite de ontem em Rio Claro, no interior de São Paulo, logo após ele ter saído da empresa química onde trabalhava. Quando trafegava de moto pelo distrito industrial, Camargo foi atingido pela linha cortante, que estava esticada na avenida, e sofreu um corte profundo no pescoço. Encaminhado ao hospital pela unidade de resgate do Corpo de Bombeiros, ele não resistiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.