Linha da CPTM em que trem descarrilou está normalizada

Desde às 4h desta sexta-feira a circulação de trens em toda a linha B (Júlio Prestes-Itapevi) da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) está normalizada. Técnicos da companhia trabalharam durante todo o dia de quinta e esta madrugada para reparar os trilhos entre as estações de Presidente Altino, em Osasco, e Imperatriz Leopoldina, região do Ceagesp, zona Oeste da capital.Ontem, neste trecho, por volta das 5h, três vagões de uma composição que seguia para o centro da capital descarrilaram em razão de um ato de vandalismo promovido possivelmente durante a madrugada de quarta para quinta-feira. Alguém invadiu a linha férrea e colocou um dormente entre o trilho auxiliar e aquele no qual passaria mais tarde a composição. No momento em que o trem fez a mudança de via, como havia o dormente entre os trilhos, a junção entre estes não foi possível, e o trem acabou saindo da via, o quecausou o descarrilamento e ferimentos leves em 5 passageiros.O Centro de Controle Operacional da CPTM informou que nesta manhã apenas no pequeno trecho que foi danificado os trens reduzem a velocidade para 20km/h; mas isso não interfere na circulação dos vagões nem nos horários das viagens.Martírio - Segundo a CPTM, cerca de 250 mil passageiros foram prejudicados ontem por causa do acidente. Apesar da Prefeitura de São Paulo, em conjunto com a cidade de Osasco, ter acionado um plano Paese com dezenas de ônibus que faziam o trajeto entre as estações de Osasco e Barra Funda, os 4 mil passageiros que por hora estariam usando as composições se aglomeravam nas ruas e "lutavam" para entrar em um dos ônibus. Algumas pessoas chegaram a invadir os coletivos pelas janelas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.