Lixo em decomposição teria causado explosão no RJ

Material teria formado uma bolsa de gás metano que explodiu ao entrar em contato com o ar

Pedro Dantas e Alexandre Rodrigues, de O Estado de S. Paulo

08 de abril de 2010 | 13h27

 

 

RIO - A secretária estadual do Ambiente do Rio de Janeiro, Marilene Ramos, disse que a provável causa do deslizamento foi uma explosão do gás metano em decomposição do antigo lixão situado no alto do Morro do Bumba, em Viçoso Jardim, Niterói, região metropolitana do Rio. O lixo em decomposição formou uma bolsa de gás metano que em contato com o ar causou a explosão ouvida pelos moradores.  

 

Veja também:

link Dezenas de pessoas estão desaparecidas após deslizamento em Niterói

link Segundo moradores, deslizamento em Niterói era 'tragédia anunciada'

link Rio pede R$ 370 mi à União para recuperar estragos

link Distribuição de energia elétrica no Rio fica comprometida

mais imagens Imagens sobre o drama da chuva

especial As áreas afetadas pela tragédia

blog Dava para evitar a tragédia?

"Trata-se de um terreno insalubre e ainda que não houvesse tamanha instabilidade nunca deveria ter sido ocupado", declarou a secretária. O governador Sérgio Cabral está à caminho do local da tragédia. O prefeito Jorge Roberto Silveira chegou no morro ao meio dia, quinze horas depois do deslizamento.

Verba emergencial

Em nota divulgada nesta manhã, o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), confirmou que o governo federal liberou R$ 200 milhões para obras emergenciais e o socorro às vítimas das chuvas na capital fluminense e cidades da região metropolitana.

Segundo a nota, o ministro da Integração Nacional, João Reis Santana Filho, prometeu a liberação imediata dos recursos em conversa por telefone com o governador. Do total, R$ 90 milhões serão destinados à capital e outros R$ 110 milhões serão aplicados em Niterói, São Gonçalo e outras cidades do Grande Rio atingidas pelas chuvas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.