Local com mais de mil pessoas vai precisar de desfibrilador

Os estabelecimentos de São Paulo com concentração superior a mil pessoas ou circulação média diária de mais de 3 mil serão obrigados a possuir desfibriladores, aparelho usado para reanimar pessoas com parada cardiorrespiratória. A lei, sancionada pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM), foi publicada ontem no Diário Oficial da Cidade. Para ser regulamentada e entrar em vigor, no entanto, ela depende de um decreto, que será publicado no prazo máximo de 60 dias.A medida vale, entre outras construções, para aeroportos, shopping centers, estádios de futebol e grandes casas de espetáculos. Uma lei anterior já estabelecia a obrigatoriedade desses equipamentos, mas para estabelecimentos que tivessem circulação média diária superior a 1.500 pessoas. Os locais que se enquadram na nova lei deverão também treinar todos os integrantes das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes (CIPA), de Brigadas de Incêndio e de Emergência para saber operar os aparelhos, além de dois funcionários por turno para cada desfibrilador disponível.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.