Twitter/Reprodução
Twitter/Reprodução

'Logo estou numa boa', diz mulher espancada por 4 horas no Rio

Em vídeo divulgado em rede social, empresária aparece no hospital com rosto inchado e ferido; agressor está preso

Redação, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2019 | 12h30

SÃO PAULO - A empresária Elaine Caparróz, de 55 anos, diz estar bem e que logo ficará "numa boa" em vídeo divulgado nas redes sociais nesta terça-feira, 19. Ela está internada desde o fim de semana, após ter sido espancada durante quatro horas pelo advogado Vinícius Batista Serra, de 27 anos, que está em prisão preventiva.

As agressões começaram durante a madrugada, quando a empresária dormia, e somente cessaram após a intervenção de vizinhos. O caso ocorreu dentro do apartamento de Elaine, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro

A vítima está internada em estado grave na UTI do Hospital Casa de Portugal, no centro do Rio, e terá ainda de passar por cirurgias reparadoras. Segundo o irmão de Elaine, Rogério Peres Caparróz, a empresária tem diversas fraturas graves, trauma de pulmão e dos rins.

No vídeo postado na internet, a empresária aparece com o rosto inchado e com ferimentos. "Está tudo bem, logo logo eu estou numa boa. Amo vocês, fiquem com Deus", diz na gravação.

Elaine e o agressor se conheceram em uma rede social, na qual conversaram durante oito meses. No sábado, 16, resolveram se encontrar pela primeira vez em um jantar no apartamento da empresária. Ao entrar no edifício, ele havia dado um nome falso.

Agressor de empresária já tinha atacado irmão

Serra foi levado para a Cadeia Pública Frederico Marques, em Benfica, zona norte. Segundo o delegado Rodrigo Freitas de Oliveira, da 16ª Delegacia de Polícia, na Barra pela gravidade das agressões a conclusão é de que o acusado tentou matar Elaine. Ele vai responder por tentativa de feminicídio. discriminação e menosprezo à mulher. 

Na segunda-feira, 18, o juiz Alex Quaresma Ravache converteu em preventiva a prisão em flagrante do agressor. Ravache também determinou o encaminhamento de Serra para avaliação psiquiátrica.

O advogado diz ter bebido vinho, dormido e, ao acordar, teria "surtado" e agredido a empresária. Segundo registro policial, contudo, ele já tem histórico de ter agredido o irmão, que é deficiente, em 2016,em denúncia apresentada à polícia pelo próprio pai, que naquela ocasião também levou um golpe no rosto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.