Lucro de quadrilhas do RS chegava a R$ 2 mil por ponto de venda de drogas, diz polícia

77 pessoas foram presas por participarem de quadrilhas de tráfico de entorpecentes

30 Março 2012 | 12h39

SÃO PAULO, 30 - A Operação Navalha, da Polícia Civil do Rio Grande do Sul, já prendeu ao menos 77 pessoas, até as 12h desta sexta-feira, 30. Elas são acusadas de participar de quadrilhas de traficantes na região de São Borja, na fronteira com a Argentina. De acordo com as investigações, o lucro de cada um dos pontos de droga girava entre R$ 500 e R$ 2 mil por dia.

Com os detidos, a Polícia apreendeu armas, drogas, dinheiro e veículos, segundo informações do delegado Gerri Adriane Mendes da 1ª Delegacia de Polícia de São Borja, coordenador da operação.

Todos os líderes destas quadrilhas tiveram suas prisões temporárias decretadas. Uma das maiores facções criminosas desmanteladas na operação, liderada por homem apelidado de Leão, tinha cerca de 40 integrantes.

A operação contou com a participação de 632 policiais, em 155 viaturas, e cumpre 95 mandados de prisão temporária e 124 de busca e apreensão.

Mais conteúdo sobre:
TRÁFICO DE DROGASRS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.