Lula acusa oposição de ''jogo rasteiro''

Em comício, ele diz confiar ''cegamente'' em Dilma, critica ''elite rabugenta'' e diz que tucanos são ''bando de bichos espertos''

Leonencio Nossa e Carol Pires, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2010 | 00h00

Mais de dez horas depois de afastar Erenice Guerra da Casa Civil para evitar problemas na campanha presidencial do PT, o presidente Lula reafirmou que confia "cegamente" na candidata Dilma Rousseff, antecessora da ministra demitida. Em comício na periferia de Belém, ele acusou a oposição de tirar proveito eleitoral das denúncias de tráfico de influência de forma suja.

"Quero dizer para essa elite política rabugenta que não vamos fazer o jogo baixo, rasteiro, com acusações e preconceitos", afirmou. "Queremos comparar cada coisa que fizemos com o que eles fizeram."

Lula disse que os tucanos formam um "bando de bichos espertos". "Nunca vi bando de bicho de bico tão grande e cantar fácil", disse. "Eles sabem tudo, mas não dizem que um presidente trabalhador fez mais universidades que um presidente doutor", afirmou, referindo-se ao antecessor, Fernando Henrique Cardoso.

Dilma não compareceu. O PT informou que ela estava com problema no pé e não pôde viajar.

Na estadia em Belém, Lula não escondeu certo abatimento com o escândalo na Casa Civil. No discurso, ele admitiu que a situação estava difícil. "Uma lição eu aprendi. Quando a situação está difícil, só tem um remédio: conversar com o povo na rua, que entende das dificuldades. O que não pode é um governante se esconder."

Inquérito. Depois de entoar o coro de que as denúncias sobre tráfico de influência na Casa Civil eram eleitoreiras, o presidente do PT, José Eduardo Dutra, anunciou ontem que o partido pediu à Polícia Federal abertura de inquérito para investigar as denúncias. A legenda acionará o empresário Rubnei Quícoli, autor das novas denúncias, na Justiça criminal (crime de calúnia e difamação). Para Dutra, as acusações de Quícoli revelam "uma clara tentativa de forjar um envolvimento do PT e da campanha".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.