Lula admitiu estar despreparado para rebater críticas no debate

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva admitiu a assessores que estava despreparado para a avalanche de críticas e acusações do candidato tucano e que se saiu muito mal nos dois primeiros blocos do debate na TV Bandeirantes. Ele concluiu que precisa trabalhar melhor o próximo debate. A surpresa, no entanto, não foi só de Lula. O comando de sua campanha também esperava um Geraldo Alckmin menos agressivo, mais tucano. Enfim, mais parecido com o Alckmin do primeiro turno.Uma reunião de emergência feita pela coordenação da campanha de Lula pôs a culpa do "despreparo" do candidato petista nas costas das assessorias do governo, que teriam repassado a ele números brutos, sem preparação. Isso impediu o presidente de fazer comparações efetivas entre seu governo e os oito anos do governo tucano. "Já entendi. A única coisa que eles querem é isso (falar de corrupção). Então vou me preparar para isso", disse Lula, ainda no avião, logo depois do debate, de acordo com relato do governador eleito da Bahia, Jaques Wagner.Pesquisas qualitativasNem tudo, no entanto, foi desanimador na campanha de Lula. Depois de analisar as primeiras pesquisas qualitativas, ficou na assessoria do candidato do PT a impressão de que a agressividade de Alckmin pode se virar contra ele, porque o eleitor não gosta de ver alguém ser humilhado em frente às câmeras de TV. Foi lembrado até um episódio que envolveu o próprio PT, na eleição para governador de Brasília, em 1998. No último debate, o então governador Cristovam Buarque (PT) humilhou seu adversário Joaquim Roriz (PMDB). Abertas as urnas, Roriz venceu a eleição. Esse fato foi lembrado pelos petistas como o "efeito Roriz".Feitas as avaliações, a campanha de Lula concluiu que mesmo em desvantagem, o presidente não disse nenhuma bobagem nem nada descabido e que o debate terminou equilibrado. Houve também a conclusão de que o tom da campanha de Lula deve ser mantido. O presidente vai insistir na tese de que Alckmin pretende privatizar empresas como a Petrobrás, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Correios. Na pesquisa qualitativa esse foi um dos pontos que mais chamaram a atenção, com as pessoas realmente temendo as privatizações. No debate, esse foi um dos pontos que irritaram Alckmin. Ele chegou a chamar Lula de "mentiroso".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.