Lula agradece a controladores de vôo por feriado tranqüilo

Uma semana depois de chamar os controladores de vôo de "traidores" e "irresponsáveis", o presidente Luiz Inácio Lula da Silva usou o rádio nesta segunda-feira para agradecer os militares da área pela tranqüilidade nos aeroportos durante o feriado de Páscoa. Ao final do programa Café com o Presidente, ele pediu licença ao apresentador para mandar a mensagem aos controladores, alguns deles respondendo a Inquérito Policial Militar (IPM) por paralisar o espaço aéreo brasileiro durante cinco horas no dia 30 de março, portanto, submetidos ao Código Penal Militar. Na entrevista ao jornalista Luiz Fava Monteiro, Lula disse que agradecia a todos que contribuíram para uma Páscoa tranqüila. "Finalmente, os nossos aeroportos estão tranqüilos, numa demonstração de que uma relação honesta e sincera entre o governo, a sociedade brasileira e os controladores permitiu que o bom senso reinasse no nosso meio", afirmou. "Estou feliz com isso", completou. "Todo mundo que viajou deve ter visto que as coisas estão tranqüilas, e é assim que precisa ser". A relação do Planalto com os controladores teve momentos diferentes nas últimas semanas. Na noite da sexta-feira, dia 30, quando soube que havia um motim por parte deles, Lula mandou o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, negociar com os grevistas. O presidente suspendeu uma ordem de prisão dada pelo comandante da Aeronáutica, Juniti Saito. A decisão de Lula causou repercussão negativa nas Forças Armadas, que reclamaram da insubordinação dos controladores. Para acalmar os ânimos dos oficiais, o presidente passou a semana passada criticando os controladores em público e nos bastidores. Além de chamá-los de "traidores" e "irresponsáveis", Lula autorizou que novos motins fossem reprimidos com prisão. Numa entrevista no Itamaraty, na última quarta-feira, ele disse que a paralisação foi "grave" e a Aeronáutica agiria livremente em novos motins de controladores. Representantes da categoria pediram ao governo anistia para os amotinados. O presidente, no entanto, não deu garantias de que vai se intrometer no assunto. Um dia depois da greve dos controladores, ele deu prazo até o dia 3 de abril para anunciar uma "solução definitiva" para o problema no controle de vôo. Nenhuma medida, porém, foi anunciada para resolver os problemas da área. Atrasos De acordo com balanço da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), 5,5% dos vôos programados para o domingo, 8, entre meia-noite e 19 horas, registraram atrasos de mais de uma hora. Segundo a Infraero, dos 1.202 vôos programados até as 19h de ontem, 66 tiveram atrasos de mais de uma hora. Além disso, 18 foram cancelados, o que representa 1,5% dos vôos. A situação foi tranqüila desde o início do feriado de Páscoa. Na última quinta-feira, 5, os controladores de vôo divulgaram uma nota pedindo perdão à sociedade pelos transtornos causados no dia 30 de março, quando realizaram uma manifestação que paralisou todos os aeroportos do País.

Agencia Estado,

09 Abril 2007 | 07h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.