Lula assina MP e libera R$ 1 bi para reconstruir SC

Governador fala em R$ 250 mi só para refazer malha viária; outros R$ 600 mi serão destinados a RJ, SP, ES e RS

Leonêncio Nossa, Júlio Castro e Agência RBS, O Estadao de S.Paulo

27 de novembro de 2008 | 00h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou ontem uma Medida Provisória liberando R$ 1,029 bilhão para a recuperação de um terço do Estado de Santa Catarina, região atingida por enchentes e deslizamento de barreiras. Outros R$ 600 milhões serão destinados a outras áreas afetadas em Espírito Santo, Rio, Rio Grande do Sul e São Paulo. "Essa é a maior tragédia em termos de enchente que já aconteceu no Brasil. O recurso estará disponível a partir de amanhã (hoje)." O governador Luiz Henrique da Silveira estimou em R$ 250 milhões só as verbas para recuperar a infra-estrutura e a malha viária estadual. Os prejuízos para a economia superam os R$ 300 milhões. Mais informaçõesLula desembarcou à tarde no Aeroporto de Navegantes, cidade vizinha a Itajaí, que concentra mais de metade dos desabrigados pelas cheias e teve saques a mercados e casas ontem e anteontem. "O que mais me impressionou foi ouvir do governador que a água baixou. Lá de cima eu só via nuvens e água embaixo", contou o presidente. "O momento é para darmos as mãos e ajudar Santa Catarina a voltar a ser o Estado que sempre foi. Da parte do governo federal não faltarão recursos para que a situação volte à normalidade. Sou de uma região em que as pessoas passam mais da metade do ano pedindo para que chova. Em Santa Catarina, temos de pedir a Deus para parar de chover", disse Lula, que voltou para Brasília às 18 horas.Dados da Defesa Civil catarinense apontavam 97 óbitos nesse horário. Dos municípios com o maior registro de mortes, Ilhota, uma pequena cidade do Vale do Rio Itajaí, aparece com 29, seguida por Blumenau com 21, Gaspar, com 15, e Jaraguá do Sul, com 13. Ontem, os corpos de nove pessoas foram encontrados soterrados em Ilhota, na região do Morro do Baú, de onde os helicópteros continuam a resgatar moradores, alguns já sem vida.Pelo menos 19 pessoas continuam desaparecidas. Entre desalojados e desabrigados, a soma já é de 78.656 flagelados, num universo de mais de 1,5 milhão de atingidos pelas cheias. Nos sete municípios isolados por causa de barreiras, 97.680 pessoas estão impedidas de deixar suas casas. Com exceção dos municípios de Gaspar, Rio dos Cedros, Nova Trento, Camboriú, Benedito Novo, Pomerode, Luis Alves, Itajaí e Rodeio, que tiveram decretado estado de calamidade pública, todos os demais atingidos seguem em situação de emergência.RECURSOSO Ministério da Fazenda fará um aporte específico de R$ 370 milhões para o governo de Santa Catarina por meio de títulos públicos. Do total de R$ 1,6 bilhão, serão destinados R$ 720 milhões para Defesa Civil em todo o País - R$ 350 milhões para a recuperação de portos catarinenses, R$ 280 milhões para a recuperação de estradas (R$ 129 milhões para Santa Catarina), R$ 150 milhões para as Forças Armadas e R$ 100 milhões especificamente para o setor da saúde.O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou que a prioridade será montar um hospital de campanha e recuperar a infra-estrutura dos hospitais. Ele informou ainda que 40 toneladas de medicamentos chegarão hoje ao Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.