"Lula assinou concessões, não privatizações", retruca Chinaglia

A questão da privatização voltou ao debate no plenário da Câmara, no discurso do líder do governo na Casa, deputado Arlindo Chinaglia (PT-SP). Em resposta ao líder do PSDB, Jutahy Júnior (BA), o petista disse que os decretos assinados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva citados pelo tucano se referem a concessões e não à privatização de linhas de transmissão de energia. "Foram feitas concessões, licitações públicas. É diferente de pegar rodovias e linhas de transmissão e vendê-las", afirmou Chinaglia. O líder petista disse que a privatização da companhia de energia elétrica de São Paulo deixou o Estado, que tinha uma empresa de vanguarda, segundo ele, dependente da produção de energia em todo o País. "Por duas vezes, houve apagões em São Paulo", disse Chinaglia, apontando isso como conseqüência negativas da privatização para a economia do Estado. Jutahy havia citado o número de oito decretos, de 2004 até 2006, que tratam da privatização de 60 linhas de transmissão, dentro do Programa Nacional de Desestatização (PND), editados por Lula. O deputado ainda havia acusado Lula de não ser coerente no discurso de campanha eleitoral sobre privatizações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.