Lula ataca tucanos e imprensa durante comício em Minas

Em comício marcado por acusações à imprensa e clima de "já ganhou", o presidente Lula provocou ontem os tucanos, que acusou de estarem com "raiva" diante da possibilidade de derrota.

Wilson Tosta, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2010 | 00h00

Segundo Lula, primeiro seus adversários não acreditavam que venceria em 2002; depois, apostaram que seu primeiro governo fracassaria e eles voltariam ao poder em 2006; por fim, acharam que sua segunda gestão não daria certo, o que também não se confirmou. "Deu tão certo que até eles colocam a minha cara no programa deles", ironizou, no ato que teve cerca de 10 mil pessoas no Terreirão de Juiz de Fora.

O presidente lembrou as críticas que recebeu quando resolveu que Dilma Rousseff seria sua candidata à Presidência. "Eles diziam: "Esse Lula é louco. Vai escolher uma mulher? O Brasil não tem o hábito de votar em mulheres. Vai escolher uma pessoa que não tem cultura política?"Algumas pessoas diziam: "O Lula está escolhendo alguém que nunca fez comício"", afirmou, criticando os "especialistas".

Sem mencionar o candidato José Serra, Lula o criticou por prometer um salário mínimo de R$ 600. "E agora na política vale tudo. Eles até prometem mais aumento para o salário mínimo", disse. "Será que eles pensam que o povo é tonto e não sabe que eles governam este país há 200 anos e não fizeram o que estão prometendo agora?"

Imprensa. O presidente voltou a mirar na imprensa. "Essa gente não nos perdoa. Basta que você veja alguns órgãos e jornais do Brasil. Aliás, alguns órgãos e jornais deveriam ter a cor do partido que eles defendem e a cara do candidato que defendem e parar de falar em neutralidade", atacou. "Porque na verdade quem faz oposição neste país é determinado tipo de imprensa. Ah, como inventam coisa contra o Lula. Olha, se eu dependesse deles para ter 80% de aprovação neste país eu tinha zero. Porque 90% das coisas boas deste pais não é mostrado (sic). Nunca disseram que foi um metalúrgico , ajudado por esta gente, e ajudado por vocês, que não teve um diploma universitário, que só tem o quarto ano primário e um curso do Senai, que é o presidente que mais fez universidade na história deste país."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.