Lula cita verba do BNDES destinada ao microempreendedor

"Os microempresários não poderiam ser isentos de impostos?", foi a pergunta feita ao candidato à reeleição Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no debate desta sexta-feira na Rede Globo. Lula disse que o Congresso deverá aprovar a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, que "vai permitir que vocês todos, quando queiram abrir uma pequena empresa, possam abrir como menores impostos". E atacou: "No governo deles (PSDB), foi o maior momento de imposto da história do Brasil". O candidato Geraldo Alckmin (PSDB) compara a política de impostos com o Estado de São Paulo, onde a alíquota é zero para micro empresas. "A microempresa não deve pagar imposto, há três anos já é assim no meu governo. Nós beneficiamos 525 mil microempresas, é assim que tem de ser, apoiar o microempreendedor". "Eu, às vezes, fico assustado com os números que o candidato cita", alfineta Lula. "É só ver o Brasil nos últimos quatro anos. É a primeira vez que o BNDES destina verbas para o microempreendedor". O petista culpa o Congresso, que não aprovou a Reforma Tributária, mas, otimista, diz: "Temos ainda dois meses". Alckmin fundamenta seus argumentos novamente falando sobre as medidas que instituiu em São Paulo. "Reduzi o ICMS para zero, o álcool do automóvel de 25% para 12%", e cita aumentos na carga tributária no Governo Federal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.