Lula comemora 'vaquinha' de R$ 10 mil feita por sindicalistas

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva comemorou a informação que recebeu ontem da diretoria da Confederação Geral do Trabalhadores do Brasil (CGTB) de que os filiados fizeram uma "vaquinha" e já arrecadaram os R$ 10 mil para pagar a multa imposta a ele pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A multa foi aplicada ao presidente por ter feito propaganda eleitoral antecipada em favor da candidata do PT ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff, em janeiro passado.

Tânia Monteiro / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2010 | 00h00

"Ótimo, porque não tenho salário pra pagar esta porra", teria dito Lula ao presidente da CGTB, Antonio Neto, ao fim de sua participação na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, no Itamaraty, ao saber que o dinheiro está à disposição dele e do partido.

A multa foi aplicada por discurso durante a inauguração da sede do Sindicato dos Trabalhadores de Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do Estado de São Paulo, no dia 21 de janeiro de 2010. "Avisamos ao presidente e estamos também comunicando ao Dutra (presidente do PT, José Eduardo Dutra) que já estamos com dinheiro arrecado em vaquinha para pagar a multa. Vamos fazer uma solenidade para entregar o cheque administrativo a ele para quitar essa dívida", disse Neto, que relatou o palavrão supostamente dito por Lula.

Inauguração. Esta foi uma das quatro multas aplicadas ao presidente Lula pelo TSE por campanha antecipada. Há ainda outras três recomendações de novas multas pela Procuradoria-Geral Eleitoral.

Durante a inauguração do sindicato, a multa foi aplicada porque Lula afirmou: "Então, eu penso que a cara do Brasil vai mudar muito. E quem vier depois de mim, e eu, por questões legais, não posso dizer quem é - espero que vocês adivinhem, espero -, quem vier depois de mim já vai encontrar um programa pronto, com dinheiro no Orçamento, porque eu estou fazendo o PAC 2 porque eu preciso colocar dinheiro no Orçamento para 2011, para que as pessoas comecem a trabalhar."

Antes, o presidente, em público, deixou escapar um palavrão ao discursar para empresários e ministros na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social. Lula reclamava das altas taxas de seguro nos financiamentos para casa própria quando disse "porra". Em seguida, pediu desculpas e continuou a criticar os preços cobrados pelos bancos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.