Lula considera dossiê contra Serra abominável

O envolvimento de filiados do PT na compra de um suposto dossiê contra candidatos tucanos, entre eles o concorrente ao governo de São Paulo, José Serra, levou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a classificar a ação como ?abominável?. Depois de lamentar ser comum o uso desta ?prática absurda? em época de eleição, o presidente Lula saiu em defesa de Serra. ?E se amanhã o Serra não tiver culpa no cartório, quem é que vai dizer: olha, erramos. Se sair erramos, vai sair numa letrinha bem pequenininha que ninguém nem vai conseguir saber?, disse. Ele justificou. ?No Brasil, nós estamos vivendo um momento em que as pessoas têm uma facilidade imensa de condenar e tem uma timidez muito grande de perdoar?.A declaração de Lula é ambígua porque, ao mesmo tempo em que se presta a desqualificar o dossiê contra Serra, abre uma porta para a absolvição de petistas e outros integrantes da base aliada do governo efetivamente suspeitos, segundo o Ministério Público e a Polícia Federal, de envolvimento com a máfia dos sanguessugas.?Quem quiser fazer bandidagem, por favor, não queira o Lula como parceiro, porque não aceito esse tipo de coisa. Acho que essas denúncias, faltando dias para as eleições, não ajudam?, disse. Para ele, ?você só pode fazer uma denúncia dessa magnitude quando você tem provas?. E acentuou: ?Você provou por A mais B que a pessoa tem culpa, então tudo bem, você manda para a polícia, manda prender, manda para o Judiciário. É isso. Agora você levanta a coisa e depois não acontece nada; no outro dia levanta outra, não acontece nada; levanta outra, não acontece nada, você vai dizer para o povo que política é isso. Eu acho que isso presta um desserviço aos amantes da democracia no Brasil.?Lula disse desconhecer a prisão do petista Valdebran Carlos Padilha da Silva, ex-tesoureiro do PT de Mato Grosso. Ele não quis comentar as acusações contra Serra, ressalvando que não faz julgamentos sobre as acusações deste tipo. ?Há muito sensacionalismo. Nessa época do ano, as denúncias aparecem como se fossem vendavais. Eu acho que, se saiu alguma coisa, o Serra tem experiência política, história política para explicar o que aconteceu?, afirmou, defendendo o tucano.As declarações de Lula foram dadas na manhã deste sábado, ao deixar o hotel onde pernoitou em Aracaju, antes de seguir para uma maratona de três novas cidades, em campanha. Para o presidente, ?um dossiê contra o Serra é um dossiê igual tantos outros dossiês que circulam por esse país? e observou que este tipo de iniciativa, a poucos dias das eleições, ?não contribui? para a política brasileira e ?não ajuda? o eleitorado a decidir no dia 1º de outubro.?Pelo contrário, vai deixando a sociedade com nojo da política, vai deixando a sociedade afastada das pessoas?, disse, acentuando que não conhece o depoimento das pessoas. Ao comentar que, lamentavelmente na política brasileira, toda época de eleição aparece isso, lembrou que, quando foi candidato em 89, 94 e 98, ?eram fartas as vezes que aparecia gente dizendo ?temos uma denúncia contra o fulano?. ?Não uso isso porque acho abominável.? Ao comentar que, "lamentavelmente" na política brasileira, toda época de eleição aparece isso, lembrou que quando foi candidato em 89, 94 e 98, quando "eram fartas as vezes que aparecia gente dizendo "temos uma denúncia contra o fulano". Em seguida, ressaltou que todos são testemunhas de que nunca usou isso. "Não uso isso porque acho abominável. Eu gosto de ganhar uma campanha discutindo programa de governo, discutindo teses políticas e não achando que meu adversário tem mais defeito do que eu. Tenho de ganhar pelas virtudes, pelo programa", disse ele, avisando que "se alguém fez isso, vai pagar o preço".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.