Lula defende prioridade para reforma política

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, em entrevista publicada ontem pelo jornal Correio Braziliense, que será "uma pedra no calcanhar do PT" para que o partido "coloque a reforma política como prioridade".

, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2010 | 00h00

Para Lula, a adoção do fundo público para financiar as eleições, com proibição de uso de recursos privados, seria uma chance para moralizar o País.

Ele lamentou também a disputa política entre dois líderes do PT em Minas Gerais, o ex-ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Patrus Ananias e o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel, para serem escolhidos pela legenda como candidato a governador. "De repente, o PT resolve fazer uma guerra interna. Essas guerras não resolvem o problema. As pessoas pensam que podem fazer guerras, insultos e, depois, botar um papel em cima. No PT, não volta à normalidade", afirmou.

O presidente elogiou o ex-governador de Minas Aécio Neves. "Acho que o Aécio está qualificado para ser o que quiser", disse. Contudo, Lula disse que, ele aceite ser o candidato a vice-presidente na chapa do pré-candidato José Serra (PSDB), o neto do ex-presidente Tancredo Neves se desgastará. "É só pegar o que o Estado de Minas escreveu sobre as divergências de Aécio com Serra para perceber que o Aécio vai colocar muita dúvida na cabeça do povo mineiro", destacou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.