Lula deixa o casamento de Marta; a festa continua

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou a festa de casamento da prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, de helicóptero por volta das 16h20, e seguiu para sua casa, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Segundo pessoas ouvidas pelo Estado, Lula estava animado, circulou pelas várias mesas e conversou com muitas pessoas antes de se acomodar com os outros padrinhos e os noivos em uma mesa maior. A festa não tem hora para terminar. O que era para ser uma festa discreta, com 200 convites distribuídos, acabou se tornando um grande evento, tanto pelo número de convidados, que chegou a 400, como pelo esquema de segurança e a estrutura para que tudo saísse conforme o planejado. Mesmo assim, ocorreram imprevistos de última hora. No meio da tarde, um assessor da Presidência da República foi até um bar ao lado do sítio para comprar 50 garrafas de refrigerantes variados.Uma das surpresas foi o presidente do PT, José Genoino, que ficou menos de uma hora na festa. Ele entrou e saiu sem conversar com a imprensa, que foi proibida de entrar no sítio. Entre os retardatários, estava o ministro do Planejamento, Guido Mantega, que chegou às 14 horas, depois da cerimônia civil. Outro que saiu pouco depois do início da festa foi o rabino Henry Sobel. Segundo ele, não houve qualquer tipo de ato religioso. "Fui convidado como amigo. Foi algo muito, muito bonito", disse Sobel.Além de políticos, os noivos também receberam artistas e personalidades, como Tereza Collor e o casal formado pela jornalista Marília Gabriela e o ator Reynaldo Gianechini. Um dos filhos de Marta e o senador Eduardo Suplicy, o compositor João Suplicy, chegou acompanhado da apresentadora Maria Paula. Nenhum deles conversou com a imprensa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.