Lula desiste de enviar ao Congresso o pacote social

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desistiu de enviar ao Congresso o projeto de Consolidação das Leis Sociais (CLS). Divulgada pelo próprio Planalto como "uma CLT da Era Lula", a proposta não teria tramitação fácil neste momento eleitoral.

Leonencio Nossa / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2010 | 00h00

Em discurso ontem, em evento da Secretaria Nacional da Juventude, no Centro Cultural Banco do Brasil, ele reconheceu os obstáculos. "Não mandarei exatamente porque a gente manda um pônei bonitinho de circo e o bicho volta um camelo", disse.

A nova menina dos olhos de Lula começou a ser elaborada em setembro do ano passado pelo ministro Luiz Dulci, da Secretaria-Geral da Presidência. Lula sempre ressaltou que o objetivo do projeto impedir que o "legado" de seu governo na área social fosse desmantelado pelo futuro governo, no caso de uma vitória da oposição, em outubro. Num primeiro momento, o governo enviaria ao Congresso uma série de programas sociais mantidos por meio de decretos e portarias para serem transformados em leis. Depois, consolidaria esses projetos com outros que já estão garantidos por lei, como o Bolsa-Família. "Para não destruir e transformar, eu disse para o Dulci: "Vamos ter paciência, vamos esperar o Congresso ter novos deputados e senadores"", afirmou. Uma parte da equipe de Lula tenta convencer o presidente a enviar a proposta ao Legislativo após as eleições, em novembro ou dezembro, garantindo um compromisso do próprio presidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.