Lula determina apuração imediata de caos nos aeroportos

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou nesta segunda-feira, 19, em reunião realizada no final da manhã, a apuração imediata e rigorosa das causas dos problemas ocorridos no domingo e nesta segunda-feira nos aeroportos do País, com atrasos e cancelamentos de vôos. Lula também determinou que os usuários do transporte aéreo sejam informados de modo rápido e correto sobre os problemas ocorridos. Lula voltou a cobrar também do Comando da Aeronáutica a existência de sistemas reservas para todos os equipamentos que são considerados fundamentais para o bom funcionamento do controle do tráfego aéreo. O principal problema ocorrido no domingo foi provocado pelo sistema informatizado de comunicação, que impediu que as informações dos planos de vôo fornecidas pelos pilotos para o controle do tráfego aéreo ou não chegassem aos sargentos-controladores ou chegassem na tela com defasagem de tempo. A Aeronáutica informou que há reserva para este equipamento, mas que ele também apresentou problemas. Lula já havia feito cobrança semelhante no início de dezembro, quando houve pane no sistema de comunicações via rádio.Investigação sobre problemasDesde o domingo à tarde uma equipe de técnicos do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), do Rio, foi deslocada para Brasília a fim de checar o hardware e o software do sistema. "Estamos fazendo investigação dos diversos imputs que os sistema de tratamento de vôo possui", contou um oficial, assegurando que o sistema existente é totalmente duplicado e funciona sempre com um reserva. Segundo ele, os técnicos estão recolhendo todas as mensagens repassadas ao sistema 1 para saber qual foi a que provocou o travamento do equipamento e impedindo que o servidor 2, o reserva, entrasse em funcionamento imediato, cumprindo o seu papel de sobressalente", comentou o militar, acentuando que todo o sistema, agora, está em teste. A Aeronáutica assegurou ainda que em 2006 foi concluída a revitalização do sistema do Cindacta 1 e que esta é a versão mais nova de software do sistema de controle de área, o X 4000, que existe no país e que, agora, a mesma substituição de sistema está começando a ser feita em Curitiba. Com estas declarações, a FAB tenta derrubar informações repassadas por controladores de que o sistema está ultrapassado e apresente individualmente este tipo de problema com freqüência.NotaEm nota, o Ministério da Defesa, explicou que "as fortes chuvas em São Paulo causaram o fechamento do aeroporto de Congonhas, por aproximadamente duas horas", pela manhã, informando ainda que, "às 10h06, o sistema de processamento de plano de vôos do Cindacta I sofreu uma falha de operação" e que "para preservação da segurança, até que o sistema fosse plenamente recuperado, foi necessário que os tráfegos fossem espaçados, inicialmente em 30 minutos, sendo esse tempo reduzido gradativamente". A nota acrescenta que, "por volta das 15h, houve uma queda de energia no aeroporto de Brasília, o que causou uma degradação dos sistemas da torre para o controle dos planos de vôo". Justificando que os atrasos desta segunda-feira são "um efeito-cascata das operações de ontem".SabotagemEm momento algum a nota fala em sabotagem, tema que foi abordado na reunião com o presidente Lula. Fontes da Aeronáutica, no entanto, asseguravam que "é muito difícil neste sistema ter havido manipulação para prejudicar seu funcionamento".Quando houve a pane do sistema de comunicações em dezembro, a Aeronáutica vazou a informação de que poderia ter havido sabotagem por parte de pessoal do setor, atribuindo responsabilidades a controladores insatisfeitos com os aquartelamentos determinados pelo então comandante da Força, brigadeiro Luiz Carlos Bueno, ou por técnicos do setor, que entendiam que também tinham direito a possíveis benefícios que fossem estendidos à categoria. Pouco depois, o assunto foi abandonado após um técnico da empresa que operava o computador explicar que a pane havia sido gerada por uma placa erroneamente manuseada. Agora, o problema se repete e volta-se a falar em sabotagem, só que desta vez, com mais cuidado. Mas na própria FAB técnicos descartam esta possibilidade.O presidente Lula, que cobrou explicações na reunião, aguarda informações sobre instalações de novos sistemas de back ups. Ele quer ser mantido informado sobre providências tomadas para evitar que problemas como estes se repitam.Participaram da reunião com o presidente os ministros da Casa Civil, Dilma Rousseff, e da Defesa, Waldir Pires, além do general Jorge Armando Félix, Gabinete de Segurança Institucional, comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro do Ar Juniti Saito e representantes da ANAC e da INFRAERO.Veja a íntegra da nota do Ministério da Defesa:"Nota à ImprensaFortes chuvas em São Paulo causaram o fechamento do aeroporto de Congonhas, por aproximadamente duas horas, no período de 7h às 9h da manhã de 18 de março.Às 10h06, o sistema de processamento de plano de vôos do Cindacta-I sofreu uma falha de operação. Para preservação da segurança, até que o sistema fosse plenamente recuperado, foi necessário que os tráfegos fossem espaçados, inicialmente em 30 minutos, sendo esse tempo reduzido gradativamente.Por volta das 15h, houve uma queda de energia no aeroporto de Brasília, o que causou uma degradação dos sistemas da torre para o controle dos planos de vôo.Os atrasos de hoje decorrem de um efeito-cascata das operações de ontem, e a situação deverá se normalizar, dependendo das condições meteorológicas, ao longo do dia.Na manhã de hoje, o Presidente Lula - em reunião com a ministra Dilma Roussef, Casa Civil, Waldir Pires, Ministério da Defesa, general Jorge Armando Félix, Gabinete de Segurança Institucional, comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro do Ar Juniti Saito e os representantes da ANAC e a INFRAERO - determinou a apuração imediata e rigorosa das causas do ocorrido com vistas à tomada das ações necessárias.Determinou, também, que os usuários recebam as informações de modo rápido e correto nos aeroportos e que sejam implementados equipamentos reserva eficientes e eficazes.Ministério da DefesaAssessoria de Imprensa"Matéria atualizada às 20h17

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.