Lula diz não ter responsabilidade sobre propaganda de banco

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, apresentou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) defesa na representação movida contra ele e o presidente do Banco do Nordeste do Brasil S/A, Roberto Smith, pela coligação PSDB-PFL, do candidato Geraldo Alckmin. A coligação os dois de fazer publicidade institucional em período proibido (nos três meses que antecedem as eleições) com a veiculação de propaganda do banco com as expressões Cresce Nordeste! e Brasil, um país de todos.Lula alega, na defesa protocola no sábado, não ter responsabilidade sobre a transmissão da propaganda, a medida que a Secretaria-Geral da Presidência editou, em maio, instrução normativa, na qual suspende a divulgação de publicidade institucional entre os dias 1º de julho e 29 de outubro, ou até a proclamação dos eleitos em primeiro turno. O presidente afirma, ainda, que a propaganda não tem conteúdo eleitoral e não lhe trouxe qualquer benefício. O ministro Marcelo Ribeiro, deferiu na última quinta-feira, liminar á coligação do candidato tucano, por entender que estava configurada a prática de publicidade institucional fora do prazo, proibida pelo o artigo 73 da Lei 9.504/97 (Lei das Eleições). As informações são do site do TSE.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.