Lula diz que PSDB achou ´laranja podre´, mas pede paz

Um dia antes do segundo turno da eleição presidencial, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva apontou o "desespero político" de seus adversários e agradeceu a "sabedoria" demonstrada pelo povo brasileiro na corrida pelo voto. Ele disse que os tucanos encontraram uma "laranja podre" para fazer o "trabalho sujo" nesta reta final da campanha. Era uma referência ao fato de uma dirigente do PSDB de Minas Gerais estar envolvida na divulgação de um depoimento falso contra Hamilton Lacerda, acusado de ter levado R$ 250 mil para os petistas comprarem o dossiê que, supostamente, seria usado contra os tucanos. "Nós vimos o que é possível fazer o desespero político", disse o presidente, que participou de uma caminhada em São Bernardo do Campo, SP, seu berço político. "Nós vimos uma pessoa do PSDB de Minas Gerais arrumar um laranja podre, que fez o trabalho sujo e que foi desvendado em poucas horas, porque mentira tem perna curta." Lula acrescentou que nunca foi o interessado no episódio do chamado dossiê Vedoin e que, desde o início, buscou saber quem foi o responsável pelo esquema. "Alguém arquitetou esse projeto", disse o presidente. Apesar de criticar os adversários pelo que chamou de desespero, Lula fez apelo à governabilidade, caso se concretize sua reeleição. "Eu acho que a sociedade brasileira clama por isso. Acho que os partidos políticos entendem que tem hora de brigar e tem hora de a gente votar e administrar o País", disse. "E vocês sabem que sou um homem de paz. Ou seja, acabou a disputa eleitoral. Quem ganhar governa este País. Esta é a consagração da democracia." Segundo Lula, a escolha de São Bernardo para o último evento de rua da campanha reflete a importância que a cidade tem para ele, tanto do ponto de vista pessoal - lá ele conheceu sua mulher e nasceram seus filhos - quanto pela relevância que o município teve para sua formação política. Aclamado pela militância que se aglomerou no local da caminhada para vê-lo passar, Lula voltou a agradecer a Deus pela realização do segundo turno da corrida presidencial. De acordo com ele, o povo brasileiro demonstrou que compreende o que acontece no País, e tem consciência do que precisa ser feito daqui em diante. Lula disse ainda que, apesar da tentativa de alguns, o povo demonstrou que tem vontade própria. "Muita gente, durante muito tempo, achou que poderia manipular a consciência do povo brasileiro. E o povo brasileiro disse em alto e bom som: ?Sou dono do meu nariz, consigo entender o que está acontecendo no Brasil e não vou acreditar nas mentiras que estão sendo contadas.?" Questionado sobre o debate de sexta-feira à noite na TV Globo, o presidente disse apenas que não é um confronto como esse que garante a vitória ou a derrota de um candidato. "É um processo", afirmou. Para um eventual segundo mandato, Lula disse que quer um País mais democrático, com desenvolvimento econômico, distribuição de renda, educação de qualidade, emprego e crédito para a população.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.